O trabalho ethnografico: circularidade hermeneutica e dialogismo